Quarta-feira, 30 de Abril de 2008
Aníbal e Manuela (2)


Escrevi há dias que não deixará de ser curioso acompanhar os silêncios de Cavaco Silva  com a entrada em cena da sua antiga ministra. Se Manuela Ferreira Leite for eleita líder do PSD poderá assistir-se a uma alteração no mínimo sensível do quadro de relações do Presidente da República com o Governo e o principal partido da oposição. Ao contrário do que acontecia até agora José Sócrates deixa certamente de ser a única opção possível para primeiro-ministro de Portugal. MFL, de certo modo criatura política do criador Cavaco Silva, apresenta-se como uma alternativa credível do ponto de vista de Belém. Isso poderá criar problemas a José Sócrates. Não é que Cavaco Silva não saiba distinguir "entre relações pessoais e as funções como Presidente da República", como disse ontem na Áustria a propósito da candidatura de Ferreira Leite. Obviamente que sabe - e demonstrou-o nomeadamente com a liderança de Marques Mendes. Mas o que se trata aqui - o que está em causa agora - não são apenas relações pessoais, mas claras afinidades políticas entre o PR e a por si escolhida conselheira de estado, Manuela Ferreira Leite. 

publicado por Paulo Pinto Mascarenhas
link do poste | comentar

pub
pesquisar
 
linques
blogs SAPO