Segunda-feira, 21 de Janeiro de 2008
Uma lição para a UE
Na corrida à presidência da Sérvia, a vantagem que Nikolic, o candidato nacionalista sérvio, apresenta a duas semanas da segunda volta é uma clara mensagem à UE. O apoio dos países ocidentais à independência do Kosovo caiu mal na Sérvia, e a resposta do povo está à vista, com a previsão da derrota do actual presidente pró-ocidental. Se isto se confirmar, a questão do Kosovo ficará (ainda) mais longe de se resolver. Pelos vistos, tentar comprar países com promessas de adesão não resulta sempre, e subestimar a importância da nacionalidade e da cultura resulta ainda menos.

publicado por Alexandre Homem Cristo
link do poste | comentar
Categorias:

Comentários:
De CN a 22 de Janeiro de 2008 às 10:34
"Mais de seis décadas após o fim da Segunda Guerra Mundial, a Europa ainda se debate com os problemas daí resultantes. "

Não, meu caro. Tudo começou com a Primeira Guerra Mundial.


De Gabriel Silva a 21 de Janeiro de 2008 às 23:21
«saber se a UE e a NATO estão dispostas a continuar a servir-lhe de força de polícia e de exército.»

A UE e a Nato não deviam sequer lá estar.
Mas já que lá estão, deveria ser dito claramente: querem independência? Muito bem, arranjem polícia e exército, porque nós vamos embora no dia seguinte. Se não, serão dependentes....


De Miguel Madeira a 21 de Janeiro de 2008 às 19:46
"É um protetorado da UE e da NATO. Se a UE e a NATO de lá saírem, a guerra explode. "

Está a dizer que a Sérvia vai invadiro o Kosovo se a Nato sair de lá? Não vejo muitas outras maneiras de a guerra explodir


De Gabriel Silva a 21 de Janeiro de 2008 às 14:27
A «questão» não tem muito que resolver: uma comunidade decide que quer viver por sua conta e risco. Ninguém deveria ter nada a haver com o assunto.
Haverá quem não goste, que faça pressão, tudo bem , é da natureza da política. Mas o direito da comunidade está lá, ninguém o pode retirar. E caso assim o decidam, é uma decisão perfeitamente legítima.


De Luís Lavoura a 21 de Janeiro de 2008 às 14:30
A Europa rejeita quem por ela se enamora. Já fez o mesmo com a Ucrânia e com a Turquia. Agora fá-lo com a Sérvia.

Decididamente, a Europa anda sem rumo. E sem tino.


De Andesman a 21 de Janeiro de 2008 às 15:15
Mais de seis décadas após o fim da Segunda Guerra Mundial, a Europa ainda se debate com os problemas daí resultantes. O Kosovo é um problema que requer uma solução cautelosa e equilibrada.
A independência do Kosovo, contra a vontade da Sérvia, com o apoio ou não da UE, continuará a ser um grave problema no seio da Europa.


De Luís Lavoura a 21 de Janeiro de 2008 às 15:45
Gabriel Silva, o problema é que o Kosovo não é uma simples comunidade. É um protetorado da UE e da NATO. Se a UE e a NATO de lá saírem, a guerra explode. A questão não é pois de saber se o Kosovo será ou não "independente", mas sim de saber se a UE e a NATO estão dispostas a continuar a servir-lhe de força de polícia e de exército.


Comentar post

pub
pesquisar
 
linques
blogs SAPO