Segunda-feira, 10 de Março de 2008
A geração enganada
João Marques de Almeida, no Diário Económico:
Para conseguirem falar a esta geração, os partidos de centro-direita têm, antes de mais, que ser modernos, abertos e tolerantes. É o conservadorismo moral que afasta, instintivamente, esta geração da direita e a aproxima da esquerda. Por razões históricas, a direita em Portugal está associada a uma cultura que julga e condena antes de tentar compreender. Ora a geração “recibo verde” é tolerante, respeita a diversidade e vive de um modo pouco ortodoxo. Não é um crime, nem um erro, desejar escolher o modo como se quer viver. Não devemos olhar para as pessoas como culpadas por escolherem certos modos de vida com os quais não nos identificamos, mas sim como livres para o fazerem. Julgar e condenar os outros pelo seu modo de vida constitui uma arrogância inaceitável. Ora, em Portugal, a direita cai muitas vezes neste erro. O que não deixa de ser um pouco estranho, tendo em conta a tradição de tolerância nas famílias ideológicas do centro-direita. A consciência da fraqueza e da imperfeição da condição humana e da impossibilidade de a tornar “avançada” é um traço da maioria das correntes liberais e conservadoras. Vive e deixa viver deverá ser um dos princípios condutores da direita. Se assim for e o disserem claramente, a geração adiada começará a olhar de um modo diferente para os partidos de centro-direita. 


publicado por Paulo Pinto Mascarenhas
link do poste | comentar
Categorias:

Comentários:
De tric a 10 de Março de 2008 às 17:11
"Vive e deixa viver deverá ser um dos princípios condutores da direita."

e eis um principio que a direita Abortista não poderá reclamar !


De Vicissitude(s) a 10 de Março de 2008 às 13:05
E a "esquerda" não o faz? Ou temos uma esquerda moderada que não condena?

Não se reforma os partidos, reforma os "deputados" primeiro e só depois os partidos e suas ideologias.
É inusitado mudar de líder, organização etc, se o núcleo é e serve sempre o mesmo.
Se não lavo os dentes, por mais brilho que a minha roupa tenha, terei sempre os dentes sujos ou não?

Rua com eles, uninominalismo, bicameralismo e só depois começamos a sério nestas brincadeiras de "partidos".


De fnv a 10 de Março de 2008 às 14:51
Bom texto, sem dúvida.


De Vicissitude(s) a 10 de Março de 2008 às 14:59
Vê Paulo Pinto Mascarenhas, eu sabia que mais tarde ou mais cedo o acusariam de déspota, razurador de textos ofensivos.


De cabé a 10 de Março de 2008 às 15:59
Ao que não lhe convem, o coronel PPM chama "insulto".Insultuoso,para os liberais e democratas em geral, é estes pobres aprendizes de Torquemada autoproclamarem-se de liberais e democratas.


Comentar post

pub
pesquisar
 
linques
blogs SAPO