Quarta-feira, 30 de Abril de 2008
O pedestal da moralidade
A ONU chegou à conclusão que a distribuição de alimentos em África é, de facto, essencial para a ajuda nas crises humanitárias, mas que não serve para resolver o problema de fundo da crise de alimentação no continente. E como ficaram preocupados, criaram um gabinete de crise para a alimentação. O objectivo é garantir que os africanos conseguem construir uma rede de produção alimentar. Por seu lado, na UE, a PAC continua a produzir excedentes que, ou são vendidos em África ao preço da uva mijona – e impedem os produtores africanos de vender os seus produtos a preços concorrenciais – ou são destruídos. Já para não referir a euforia com os biocombustíveis que fez aumentar o preço dos cereais. Será que querem realmente resolver o problema de fundo da alimentação em África?
Os africanos apercebem-se, em primeira-mão, que na Europa se vive no pedestal da moralidade, onde só há boas intenções (e poucas medidas). Os europeus podem ter o seu ego cheio, mas isso não enche a barriga de ninguém.

publicado por Alexandre Homem Cristo
link do poste

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




pub
pesquisar
 
linques
blogs SAPO