Domingo, 19 de Outubro de 2008
As sagradas opiniões (2)

 

Regresso agora e vejo que corre uma bela discussão sobre as diferenças entre as esquerdas e as direitas ali em baixo a propósito de um também belo poste do Afonso Azevedo Neves. A discussão tinha a ver com o possível fim do 5 Dias - que eu lamentaria mas que tudo indica irá continuar depois da saída de um grupo liderado por Fernanda Câncio. O regresso de Nuno Ramos de Almeida é um bom sinal disso mesmo. Mas basta ler alguns dos últimos textos de f. no 5 Dias - em que os insultos mais graves são escritos sem explicitar o alvo - para se perceber que a situação era insustentável. Curiosamente, percebe-se ainda que tudo começou realmente a implodir com a diferença de opiniões sobre o "Caso da ERC" e a existência ou não de pressões ilegítimas do primeiro-ministro José Sócrates sobre o jornal Público e outros órgãos de comunicação social.

 

O bom do maradona - sempre expedito a comentar depreciativamente alguns autores deste blogue - resolveu palpitar sobre o assunto, mas parece-me que dá vários tiros ao lado. É que, de facto, como diz o Afonso Azevedo Neves, existe uma diferença fundamental entre os blogues de esquerda e os de direita, até no modo como acabam - ou se zangam os seus membros. Os blogues de esquerda funcionam em grupo, são sempre um "colectivo", ou pelo menos pretendem funcionar assim, mesmo que forem liderados por uma ou outra personalidade. Já os blogues de direita - pelo menos todos aqueles em que escrevi - são individualistas e não são comandados à distância nem obrigados a uma fidelidade de grupo. É cada um por si e ninguém por todos, como já tenho escrito em diversas ocasiões.


Aqui, neste blogue, a opinião sobre tudo é absolutamente livre e cada um é responsável apenas pelo que escreve. A única grande discórdia que aqui existiu - e que levou à saída de um dos autores (curiosamente acompanhada por grandes comentários críticos e analíticos de alguns dos principais responsáveis pela actual cisão no 5 Dias) - não resultou das diferenças de opiniões, que existiam desde o início - mas das palavras escritas terem sido consideradas inapropriadas para um blogue que era o braço cibernético da revista Atlântico. Hoje, que já não temos essa obrigação, a responsabilidade de cada um continua a ser o único limite à total liberdade de opinião.



publicado por Paulo Pinto Mascarenhas
link do poste | comentar

Comentários:
De Nuno Santos a 19 de Outubro de 2008 às 19:06
Sobre "outro" caso da ERC, já acabei de publicar os excertos do livro que tinha a publicar sobre este assunto no meu blog
http://avarinhamagicadevalentimloureiro.blogspot.com


De Miguel Madeira a 19 de Outubro de 2008 às 19:40
"É cada um por si e ninguém por todos, como já tenho escrito em diversas ocasiões."

Mas, por outro lado, não serão menos dados a discutir entre si (dentro do blogue) do que os de esquerda?

No fundo, o que o maradona diz

"Aqueles gajos de Esquerda, chatos como a mãe de todas as potassas, todos eles, quase sem excepção, insuportéveis até à violência interpessoal, que são capazes de passar horas sobre dias a "debater ideias" e mais à cona da maezinha deles? A ideia que eu tenho da Esquerda é precisamente a contrária: a esquerda é um continuo brainstorming tendo em vista o melhoramento da especie, e um gajo não sai dali enquanto não se arranja uma solução para esta merda toda. Eu, pois com certeza, não percebo nada disto, mas tenho ideia de gostar do estilo Direitesco porque, precisamente, abandonam cada um à sua posição, e, quer-me parecer, muito antes de acontecer qualquer debate que se veja."


De Filipa Carmona a 19 de Outubro de 2008 às 20:19
Caro maradona,

Os seus posts são sempre algo 'nojentos' e como tal nem sequer o posso classificar de «Produto de região demarcada».

CRACHATS ABANDONADOS À SUA POSIÇÃO


De Eduardo Correia Mendes a 19 de Outubro de 2008 às 22:30
Aquele palhaço do Rogério 'Afixe' Pereira foi levado para o 5 Dias pelo Luis Rainha, eram de outros tempos. Veja bem que foi o maior traidor naquela cena maluca!!


De Rogério Costa Pereira a 20 de Outubro de 2008 às 00:19
Eduardo Correia Mendes:
As coisas que tu sabes.


De Eduardo Correia Mendes a 20 de Outubro de 2008 às 01:10
Sabujo!


De De Puta Madre a 20 de Outubro de 2008 às 02:21
Esse indivíduo é pior que peste negra.


De Nuno Castelo-Branco a 19 de Outubro de 2008 às 22:40
Essa historieta do costume, o tal "colectivo", faz-me sempre pensar em deboche (o que até pode nem ser mau de todo). Mas casar a social-democracia burguesa do PS com estalinistas ferrenhos, isso sim, é uma inesperada prova de masoquismo. Ou a Fernanda Câncio já se esqueceu do Masarik?



De Afonso Azevedo Neves a 19 de Outubro de 2008 às 23:14
Ó Paulo, o Maradona é um gajo porreiro de Castanheira de Pêra ó coisa que o valha e que nunca, mesmo nunca, foi capaz de cruzar uma bola em condições na vida dele, algo que confirmei com estado dos pés dele.

Agora é tipo porreiro, no sentido socrático do termo, ajuda a confundir mostrando ser mais competente do que todos nessa actividade e pelo meio ajuda nos hits...logo num fim-de-semana e tudo.
De resto percebe mais de curling que de futebol mas não escreve sobre isso porque é muito tímido.


De Dorean Paxorales a 20 de Outubro de 2008 às 07:15
Aquilo no 5 foi birra.
O que me parece um bocado provinciano foi o que se passou no Corta-fitas: a (auto-)expulsão de um blogueiro por este se considerar... Monárquico absolutista (e eu nem tinha reparado em tal).


Comentar post

pub
pesquisar
 
linques
blogs SAPO