Domingo, 7 de Dezembro de 2008
Sá Carneiro

 

 

http://enciclopedia.com.pt/images/sacarneiro.jpg

 

Só um total anacronismo histórico - para não ir mais longe - pode levar Carlos Guimarães Pinto a escrever as enormidades que escreve no Insurgente. Eu não sei que idade tem CGP ou que memória guarda dos tempos do PREC e dos anos que lhe sucederam, mas ainda sou do tempo em que havia Conselho da Revolução - e não me esqueço que Sá Carneiro contribuiu decisivamente para a sua extinção e para a ocidentalização e "atlantização" de um país que esteve em risco de se tornar num bastião comunista na Península Ibérica. Olhar para o Portugal de 1974 a 1980 com os binóculos do séc. XXI é confundir tudo. A propósito, aconselho - uma vez mais - este texto do historiador Rui Ramos. Parece-me suficientemente esclarecedor.



publicado por Paulo Pinto Mascarenhas
link do poste | comentar

Comentários:
De Carlos G. Pinto a 7 de Dezembro de 2008 às 08:41
Caro Paulo, receio que não tenha compreendido os meus textos. Em nenhum lado há qualquer menção negativa às acções de Francisco Sá Carneiro no período mencionado, apenas a exposição do pensamento político que, como parece concordar, está definitivamente fora de prazo e deve ser enterrado nas profundezas da memória.
E sim, é verdade, nunca cheguei a partilhar o mundo com Sá Carneiro. Mas talvez isso me dê a distância suficiente para o julgar politicamente sem qualquer tipo de emoção.


De Paulo Pinto Mascarenhas a 7 de Dezembro de 2008 às 12:36
Caro Carlos, comparar o pensamento político de Sá Carneiro com o de Louçã, parece-me pelo menos pouco rigoroso.


De lucklucky a 7 de Dezembro de 2008 às 11:25
Enormidades?

Sá Carneiro não nos diz muito sobre o Futuro, isso é melhor feito pelos que cá estão. Aliás é bem capaz de ser uma das razões juntamente com Cavaco Silva para a morte ideológica do PSD.


De Carlos Santos a 7 de Dezembro de 2008 às 21:29
O Carlos Guimarães Pinto não se dá conta dessas enormidades. E como defendi em http://ovalordasideias.blogspot.com/2008/12/as-incongruncias-no-ataque-do.html, comparar a Inglaterra e Portugal em 1975, para implicitamente deturpar o pensamento de Francisco Sá Carneiro, é intelectualmente desonesto. Não é contudo surpreendente vindo daqueles lados.


De PF a 8 de Dezembro de 2008 às 19:07
É próprio de um país cheio de dogmas ideológicos e deformações mentais várias alguns comentários que tenho visto aqui e ali em relação ao post de C. G. Pinto sobre Sá Carneiro e a datação de suas ideias. Desde já demarco a opinião de PPM, desses comentários que referi.
O que penso que CGP quis dizer e aquilo qué sobre Sá Carneiro importa referir, é que as suas ideias são tão datáveis e contextualizáveis que não se torna possível considerá-lo um homem que tenha estado "à frente do seu tempo" e que de modo definitvo e assertivo se tenha demarcado desse mesmo tempo. Logo, fazer de suas ideias, como muitos políticos fazem, dogmas actuais é anacrónico e um regresso infrutífero ao passado. E nesse aspecto, faz sentido dizer mesmo: "É tempo de enterrar Sá Carneiro".
A prova disto é que muitos desses comentários são provenientes não do PSD mas da esquerdalha que recicla tudo o que cheire a mofo, para dar brilho ao bafio de seus eternos dogmas ideológicos. A mesma esquerdalha que quando o homem era vivo o insultava de caloteiro para baixo. São como os cucos, põem os ovos no ninho dos outros.


Comentar post

pub
pesquisar
 
linques
blogs SAPO