Sábado, 13 de Dezembro de 2008
Retórica perigosa

Para quem achava ou achou que o paleio que se ouviu há uns dias no Campo Pequeno eram sinais que o PCP estáva parado no tempo, aqui está um exemplo como na Grécia e para os admiradores da confusão que por lá reina, toda aquela conversa é para levar a sério e se possível um futuro dos amanhãs que cantam ou coisa que o valha..

 

 

"(...)A Grécia é nestes dias uma vitrina dramática da crise mundial. O seu povo, assumindo-se como sujeito, confirma com o seu exemplo, que é pelos caminhos da luta de massas e não através dos parlamentos controlados pelos partidos das classes dominantes que o capitalismo estremece, recua e pode ser derrotado.
No apelo à mobilização que dirigiu aos trabalhadores na ante-véspera da greve, Aleka Papariga, secretária-geral do Partido Comunista da Grécia, afirmou «sabemos como lutar em cada fase e pela via que seja mais adequada em cada momento. É por termos essa experiência que apoiamos toda a forma de luta que acelere, dinamize e dê força política ao movimento».
Na Grécia estavam reunidas condições objectivas e subjectivas para que o povo desafiasse o Poder da burguesia nas ruas e numa greve geral que paralisou totalmente o país.
O que semanas atrás parecia inatingível é hoje, segundo dirigentes da União Europeia, uma situação previsível. Pela força do povo, o governo de Kosta Karamanlis pode cair de um dia para outro.”

 

José Paulo Gascão, Miguel Urbano Rodrigues, Rui Namorado Rosa no Diario.info

 

Via 5 Dias

 

 



publicado por Afonso Azevedo Neves
link do poste | comentar

Comentários:
De Paulo Pinto Mascarenhas a 13 de Dezembro de 2008 às 20:35
Nem mais.


De lucklucky a 13 de Dezembro de 2008 às 21:01
Tal como os Islamistas radicais é só ouvir o que dizem e ver os amigos com que andam...Taqiyya não é só no Islão, quer os Nazis quer os Comunistas jogam no sistema até a altura em que passam a ter força para mudarem as regras do jogo.


Comentar post

pub
pesquisar
 
linques
blogs SAPO