Quinta-feira, 31 de Janeiro de 2008
O advogado da cultura
Não deixa de ser curioso que o novo ministro da Cultura, José António Pinto Ribeiro, tenha sido advogado do vereador José Sá Fernandes na acção popular contra a BragaParques na permuta do Parque Mayer com a Feira Popular. Mais: que tenha sido derrotado nessa acção, com o pedido de anulação da permuta de terrenos a receber parecer negativo do Ministério Público do Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa. Curioso ainda que essa derrota do vereador independente do Bloco de Esquerda (uma contradição entre termos) - e, por arrasto, do presidente da Câmara de Lisboa - tenha sido posteriormente ultrapassada com uma "decisão" apresentada por António Costa no sentido de anular a mesma permuta. Não estou a pôr em causa quem tem ou não razão, apenas a verificar que a aliança PS-BE na capital pretende antecipar politicamente uma decisão que pertence aos tribunais.

publicado por Paulo Pinto Mascarenhas
link do poste | comentar
Categorias:

Comentários:
De Margarida Pereira a 31 de Janeiro de 2008 às 10:25
A rarefacção dos predicados necessários à actividade cívica que é a intevenção politicamente activa, conduz à acumulação das coincidências.
Esse fenómeno transversal à vida...


De Carlos Ferreira a 31 de Janeiro de 2008 às 11:29
Faltava o facciosismo.
Suponho que já não seja tão contraditório dizer, por exemplo, o "ex-ministro independente do CDS, Bagão Félix". Não que estas atoardas, próprias de quem olha lha para a pestana na cara do outro e ignorar o nosso bigode sujo de leite, sejam novidade vindas de quem veêm.

Cumprimentos


De Paulo Pinto Mascarenhas a 31 de Janeiro de 2008 às 11:53
Eu não uso bigode, mas não se enxofra tanto por aí, era uma brincadeira, não mais do que isso.


Comentar post

pub
pesquisar
 
linques
blogs SAPO